Coliving: conheça mais sobre essa tendência urbana

11 minutos para ler

À medida que a sociedade evolui, novas tecnologias e tendências vão surgindo. As necessidades individuais e coletivas mudam. Com isso, práticas inovadoras começam a ser adotadas pelas pessoas que vivem nas grandes cidades. Um exemplo clássico é o Coliving.

Coliving é uma forma de viver mais prática e colaborativa, onde você pode alugar seu apê sem toda aquela burocracia (que enche tanto o nosso saco), nos melhores bairros das grandes cidades e com segurança.

Ficou curioso, né? Então vem com a gente que você vai descobrir o que é Coliving, quais as suas vantagens e onde encontrá-los. Se liga!

O que é Coliving e como ele funciona?

O Coliving é um tipo de aluguel de quartos individuais ou duplos, no qual os moradores se relacionam de forma colaborativa, dividindo as áreas comuns dos apês, como sala, cozinha, lavanderia etc. 

Além disso, não precisam se preocupar com a mobília ou com gastos com manutenção, WiFi, água, luz, condomínio ou outras contas, já que a administradora do Coliving é responsável por essas questões, deixando o morador com apenas um boleto.  

Só um boleto por tudo isso?! Onde eu assino? Esse conceito de vida e de moradia surgiu lá nos anos 60, a partir de um sistema chamado cohousing criado na Dinamarca. Na época, foi uma febre nos Estados Unidos e Canadá, assim como em alguns países da Europa. Também pudera, né? São muito procurados por jovens recém-formados ou pessoas que estão mudando de cidade e estado em busca de melhores oportunidades de trabalho. 

No Coliving o morador tem a possibilidade de fazer a locação de uma suíte (já com banheiro) e, em alguns casos, uma varanda privativa. Mas se quiserem economizar, podem escolher dividir o banheiro. Além disso, em algumas empresas como a Yuca, os moradores estão livres pra mudar para outro apê quando quiserem, já que os contratos pedem uma permanência mínima de 6 meses na rede Yuca, e não no apartamento. Seria um sonho?

Um dos pontos que chama a atenção desses jovens é a localização. Isso porque, um Coliving precisa oferecer qualidade de vida pros moradores da sua comunidade, por isso os apês são sempre bem localizados, perto de estações do metrô, bares, parques, restaurantes e grandes avenidas.

Sem falar na possibilidade de fazer aquele networking básico com pessoas de diferentes profissões e estilos de vida. Em outras palavras, é um novo jeito de alugar o seu apê, sem abrir mão da localização e da qualidade de vida. Qual é a diferença entre Coliving e república? Muitas pessoas confundem o conceito de Coliving com as repúblicas de estudantes, afinal, é um apê ou casa dividida por um grupo de pessoas.

Na verdade, esses dois modelos de moradia são bem diferentes, mas calma que a gente te explica o porquê.  Nas repúblicas, os quartos são divididos, normalmente, por estudantes, jovens de 17 a 25 anos que vieram de outras cidades e estados e precisam de um lugar acessível pra morar enquanto fazem o curso.

Eles são responsáveis por toda a limpeza, por suas contas e por qualquer manutenção que seja necessária em seu quarto. Já o Coliving oferece um serviço personalizado de limpeza, lavanderia, manutenção, segurança etc.

É um modelo mais profissional e sem burocracia que, normalmente, abriga jovens adultos já formados, com renda maior e uma faixa etária mais alta, de 23 a 35 anos. São pessoas que trabalham em centros empresariais e, para economizar tempo buscam por apartamentos bem localizados e próximos ao trabalho. 

Mas assim como em uma república, os moradores de um Coliving dividem ambientes comuns e, muitas vezes, isso desperta um vida em comunidade e, principalmente, economia colaborativa. Isso acontece porque as pessoas podem se ajudar nas questões simples do dia a dia, desde a preparação do café da manhã, até mesmo no compartilhamento de objetos pessoais, como roupas e sapatos.

Miga, que blusinha linda! Me empresta?

Uma diferença com o dia a dia das repúblicas está no fato de que muitas pessoas que procuram o Coliving não buscam apenas uma economia financeira, mas também um estilo de vida flexível, dinâmico, moderno, confortável e mais alinhado com as questões da sustentabilidade e do consumo consciente. Na verdade, o Coliving é como um flat compartilhado, cheio de comodidades e bem localizado. Fala se não é top?!

Quais são as principais vantagens do Coliving?

Agora que você entendeu o que é Coliving e como ele funciona, se liga nas principais vantagens que esse estilo de vida compartilhada e colaborativa pode te dar. Continua lendo aí!

Praticidade e conforto dos serviços

Um dos principais benefícios do Coliving é o conforto de, além dos serviços básicos de limpeza e manutenção inclusos, poder contratar diferentes serviços extras. Ou seja, se precisa passar roupas, limpar a casa depois de um aniversário ou de um novo jogo de toalhas?

O Coliving tem esse serviço. Geralmente, manter uma casa ou um apartamento pode ser trabalhoso, principalmente se você trabalha (e muito) durante todo o dia.

Pensando nisso, o Coliving oferece, além do quarto privativo e da possibilidade de trocar experiências com outras pessoas, algumas vantagens em relação a um aluguel comum: não tem mobília? Não se estressa!

No apê já tem tudo prontinho pra você usar: cama, mesa, geladeira, espaço pra home office. Limpeza? Tem também! O serviço de limpeza é semanal nos espaços compartilhados, quartos e banheiros, mas você também pode pedir uma limpeza extra se precisar, como já falamos. Contas de água, luz, gás e manutenção? De boa!

Está tudo incluso na mensalidade e a administradora do Coliving cuida de tudo por você. Roupa suja? Tudo bem! Tem máquina de lavar e secar em todos os apês. E a internet? Sem crise! A internet é superveloz e preparada para ser compartilhada pelos moradores.

Móveis de hotelaria

Outra vantagem, que mais parece um benefício, é a qualidade dos móveis. Como você viu, todos os apês e casas já vêm mobiliados e esses móveis são de alta qualidade. Modernos, funcionais e decorados com o máximo cuidado. A qualidade dos móveis é igual a de um serviço de hotelaria.

Contratos flexíveis

Não tem nada mais chato que morar onde a gente não gosta e não conseguir sair de lá por estar preso a um contrato, né? Este documento define o pagamento de multas pra que o morador não abandone o imóvel antes do prazo mínimo estipulado (que normalmente é de pelo menos 12 meses, mas às vezes chega a 30). 

Que preguiça! Ficar sujeito a um contrato como esse é horrível, ainda mais pra quem precisa viajar com frequência. No Coliving, esse problema não existe. Isso porque os contratos, geralmente, têm prazos mínimos de locação menores, permitem trocas entre apartamentos, sendo mais flexíveis e de fácil negociação.

Utilização flexibilizada de transporte

É comum que os moradores rachem o valor da gasolina pra irem ao trabalho ou faculdade. Essa atitude corta gastos e diminui a emissão de gases poluentes que prejudicam o meio ambiente. 

Mesmo assim, os Colivings têm uma característica muito bacana: a facilidade de locomoção por meio de transporte público. Então, mesmo que os moradores tenham carros, eles acabam utilizando o transporte público e até mesmo bicicletas pra se locomoverem, justamente por toda essa facilidade e economia.

Dessa forma, cada um faz a sua parte e, além de economizar, também favorecem a sustentabilidade e a colaboração entre os moradores, que são pilares do Coliving.

Possibilidade de encontrar pessoas que se encaixem no seu perfil

Um Coliving de responsa reúne os moradores em um apê com base nos perfis de cada um. Ou seja, seus gostos, seus horários, seus estilos, preferências, enfim. Essa é uma forma de conseguir uma troca de experiências e conhecimentos entre os moradores.

Como as empresas de Coliving analisam o perfil dos possíveis moradores, é muito comum encontrar pessoas que desenvolvem a mesma atividade profissional que a sua, ou até mesmo que tenham preferências de lazer semelhantes às suas.

Por exemplo, nômades digitais, advogados, programadores e demais perfis podem compartilhar seus conhecimentos obtidos ao longo de suas vidas, sendo uma excelente forma de fazer networking profissional pra obter oportunidades no futuro. Afinal, networking é tudo. Lembre-se disso!

Como encontrar o Coliving ideal?

Agora, depois de tudo o que você leu, a pergunta de um milhão de dólares é: como encontrar o Coliving ideal? Pra te ajudar, separamos algumas dicas que você pode seguir na hora de encontrar o seu apê. Anota aí!

Busque comunidades que tenham o seu perfil

Procure comunidades de Coliving que tenham um perfil semelhante ao seu. Assim, será mais fácil encontrar um ambiente que ofereça todas as vantagens que você precisa. Morar em um local — mesmo que provisoriamente — que não tem pessoas que se encaixam no seu perfil pode ser, no mínimo, desconfortável. 

Por isso, pesquise antes de tudo sobre a empresa que oferece o Coliving, verifique se ela preza por agrupar pessoas nos apartamentos que tenham os mesmos gostos e estilos de vida que você. Isso vai ajudar muito o seu dia a dia.

Procure por anúncios em redes sociais e visite o site

As redes sociais têm ferramentas pra análise de preferências muito eficientes. Assim, é comum que, ao procurar por Coliving pela internet, apareçam alguns anúncios de estabelecimentos que podem se adequar ao seu perfil.

Por isso, pode ser interessante buscar informações nas redes sociais e site da empresa. O mais importante é que você avalie com cautela cada uma das empresas que oferecem esse serviço e escolha a que melhor se adapta você.

Avalie o seu orçamento

Apesar de esse tipo de moradia compartilhada ter um custo inferior se comparada aos contratos de locação de imóveis comuns – principalmente nos bairros centrais com mais oferta de transporte e trabalho –, sempre existirá um custo mensal que precisa ser pago pelo morador.

É importante que você avalie bem o seu orçamento e verifique se conseguirá pagar com tranquilidade a mensalidade do Coliving escolhido. Sem exageros, hein?! Alinhe a moradia com as suas expectativas

Por fim, é fundamental que você busque o máximo de informações sobre esse novo jeito de morar nas grandes cidades. Depois que fizer isso, defina quais são suas necessidades e veja se a empresa oferece um serviço pra isso. Essa busca evita que você acabe decepcionado com o estilo de vida e acabe desistindo do Coliving no futuro.

Qual é o panorama do Coliving no Brasil e no mundo?

Como você já leu aqui, o Coliving não surgiu no Brasil. Diversos países já praticavam esse estilo de vida muito antes de chegar na terra do arroz com feijão. Reino Unido, Japão e os Estados Unidos já desenvolvem grandes projetos de moradias compartilhadas.

Na cidade de Nova York, por exemplo, a WeWork criou o projeto WeLive, que é muito conhecido na região. Nesse caso, o usuário seleciona um quarto em um apartamento que já vem todo mobiliado e escolhe por quanto tempo pretende ficar.

No Brasil, existem algumas opções de Coliving como essas, e já é possível encontrar belos apês compartilhados em grandes centros urbanos, uma delas é a Yuca. Empresa referência em Coliving na cidade de São Paulo. Não há como afirmar quando essas Colivings vão se espalhar pra outras cidades brasileiras.

Mas uma coisa é certa: isso não deve demorar pra acontecer. Afinal, sempre que o assunto é economia colaborativa, consumo consciente e sustentabilidade, a tendência é que o crescimento ocorra de forma exponencial.

Um exemplo disso são os Coworkings (escritórios compartilhados), que surgiram há pouco tempo no Brasil e já estão espalhados pelos quatro cantos do país. A expectativa e tendência natural é que o sistema de moradia compartilhada também se espalhe em grande proporção. E isso é uma excelente notícia pra quem precisa vir morar em Sampa.

Portanto, agora que você já sabe o que é um Coliving, quais são os seus benefícios e como encontrar um serviço ideal, não perca mais tempo e comece a seguir as dicas que demos. Além disso, vale a pena conhecer os serviços da Yuca e se encantar com nossos espaços.

Quer nos conhecer melhor?Então, vem falar com a gente pra tirar suas dúvidas. Temos uma equipe prontinha pra te ajudar a esclarecer tudo. Vem cá e vamos bater um papo!

Posts relacionados

Deixe um comentário