4 principais ciclovias em SP para andar de bike

4 minutos para ler

 “Bicycle, bicycle, I want to ride my bicycle”, já cantava Freddie Mercury em uma das mais conhecidas músicas da banda Queen. Pensando em morar na capital paulista, mas tem pavor de pensar em passar horas no trânsito?

Relaxa, a bike pode ser uma ótima solução pra esse problema! A rede de ciclovias em SP já é a maior da América Latina, com mais de 560 quilômetros, e se tornou uma importante alternativa de locomoção.

Quer saber como elas funcionam e quais são as principais? Então fica aqui com a gente e dá uma circulada por este post!

Como são as ciclovias em SP?

A atual administração da cidade promete entregar mais 200 quilômetros nos próximos quatro anos, além de fazer a manutenção e interconexão das vias que já existem e instalar novos bicicletários públicos.

Elas são divididas basicamente em quatro tipos, que atendem a galera que quer se deslocar de um ponto a outro da cidade, se exercitar ou apenas curtir um momento de lazer.

Ciclofaixas de lazer 

As ciclofaixas de lazer são formadas por trechos temporários que funcionam em horários e dias determinados, como aos domingos e feriados. Um exemplo é a ciclofaixa Parque do Povo/Parque Villa-Lobos, que tem cerca de 15 quilômetros de extensão.

Ciclorrotas

As ciclorrotas ficam em ruas onde bikes e automóveis circulam juntos e shallow now, misturados, mas o ciclista tem a preferência. É bom lembrar que, apesar de estar de bicicleta, tem que respeitar as leis de trânsito, ok?

Ciclovias

As ciclovias são exclusivas para ciclistas — a gente até vê um pessoal fazendo caminhada ou andando de patins, mas não pode, tá? — e costumam ficar em canteiros, calçadas ou mesmo na rua.

A diferença é que elas têm um espaço delimitado para que os carros não tenham acesso.

Ciclofaixas

As ciclofaixas são vias exclusivas para bikes, pintadas no asfalto de ruas e avenidas, e não têm separação física com as faixas dos carros.

Quais as principais ciclovias em SP?

1. Ciclovia Avenida Paulista

Inaugurada em 2015, ela tem 2.702 metros de extensão e vai da Rua da Consolação até o viaduto da Rua Treze de Maio. Bem no coração executivo da metrópole! Aos domingos e feriados, também é implantada a ciclofaixa de lazer, que vai até o Jabaquara.

2. Ciclofaixa Rebouças

Foi inaugurada em 26 de novembro de 2020. Com 3.413 metros, ela faz a conexão entre a Rua da Consolação, a Av. Paulista e a Av. Rebouças, permitindo o acesso de quem vem do Centro e dos bairros Bela Vista, Cerqueira César e Jardim Paulista à Marginal Pinheiros.

3. Ciclofaixa Consolação

Esse corredor tem 2.500 metros, foi inaugurado em 19 de janeiro de 2016 e ajuda a levar os “pedalantes” do Centro de Sampa — próximo à Rua Xavier de Toledo e à Av. São Luís — até a região da Paulista e Rebouças.

4. Ciclovia Rio Pinheiros

A ciclovia do Rio Pinheiros, inaugurada em fevereiro de 2010, acompanha a linha do trem e é administrada pela CPTM. É uma das mais extensas, com cerca de 20 quilômetros. Ficou fechada por um tempo, mas foi reformada e segue linda, leve e solta.

As ciclovias em SP vieram pra ficar. Chegaram tímidas em meio a disputas políticas, mas, à medida que o pessoal começou a usá-las, a pressão popular ajudou a consolidar esse meio de transporte como um dos favoritos para quem quer fugir dos congestionamentos.

Já está sonhando em circular pela cidade na sua bike? Então, que tal começar a escolher onde vai morar? Dá uma olhadinha nas opções de apartamentos para alugar na Yuca!

Posts relacionados

Deixe um comentário