Short Stay e Long Stay: quais as diferenças?

3 minutos para ler

Você sabe a diferença entre Short Stay e Long Stay? Neste artigo indicamos as características de cada modelo de estadia.

Muitas novidades que vêm transformando o mercado imobiliário nos últimos anos pelo uso da  tecnologia e de novos modelos de negócio. Entre elas, destacam-se as operadoras de residencial para renda. Empresas especializadas na gestão de imóveis para locação, como a Yuca, administram toda a cadeia imobiliária: levantam capital com investidores, adquirem imóveis, cuidam da reforma e do design de interiores, por exemplo.

Em seguida, operam a locação, tornando-se responsáveis pela  manutenção e pela experiência positiva de moradores. Por dominarem toda a cadeia do empreendimento, são capazes de rentabilizar os imóveis de forma mais eficiente para investidores.

Dentro dessa nova forma de investir e gerir imóveis, existem dois principais modelos de produto: short stay e long stay. Cada um dos modelos de negócio oferece, tanto para quem mora, quanto para quem investe, benefícios diferentes.

Short stay e long stay oferecem benefícios diferentes de investimento

Short Stay e long stay: como funciona a hospedagem curta

Como o nome diz, short stay se refere a imóveis de hospedagem de curta duração, de até 3 meses. Para moradores, a proposta é clara: apartamentos, em geral de um quarto, com mobília e decoração com cara de casa, com serviços já inclusos e contratação simples. Uma alternativa aos hotéis, com experiência que se aproxima mais de uma residência  do que de hospedagem, apesar de oferecer períodos breves de permanência.

No Short stay, os valores diários são mais altos

Para investidores, alocar capital em uma operação de short stay pode ser uma forma de obter maior rentabilidade sobre o imóvel. Por lidar com períodos curtos, esse tipo de imóvel alcança valores mais altos por dia do que aluguéis  fixados por contratos longos.

De fato, estima-se que a rentabilidade possa ser até duas vezes maior do que o mercado tradicional de locação. No entanto, o outro lado da moeda é a instabilidade de ocupação. Assim como na hotelaria, imóveis dedicados ao short stay são mais vulneráveis à sazonalidade. Eles também tendem a sofrer mais com períodos de vacância, o que pode afetar o retorno financeiro no médio a longo prazo.

No próximo post, detalharemos como funciona o long stay. Além disso, abordaremos as diferenças entre as duas modalidades do ponto de vista do investidor e também do cliente.

Posts relacionados

Deixe um comentário