Me formei, e agora? Confira 8 dicas

10 minutos para ler

Uma das perguntas que muita gente faz depois que sai da faculdade, curso técnico ou especialização é “me formei, e agora?”. É provável que você, em algum momento da vida, também pensou nisso. 

Afinal, se você está lendo este artigo, provavelmente se identificou, né? Bom, essa pergunta é muito importante porque ela pode dar a você um rumo a seguir daqui para frente. 

Foi pensando na importância do assunto que resolvemos escrever este artigo. Nele, vamos mostrar o que você deve fazer depois de se formar para entrar no mercado de trabalho. Confira!

1. Não se desespere

Primeiro, é importante que você não entre em desespero. Fazer as coisas com medo pode ser muito pior do que você pensa. Então respira! Essa é uma fase importantíssima, mas você tem espaço para tentar, errar e mudar de ideia. Está tudo bem!

Se você quer a resposta para a pergunta “me formei, e agora?”, é importante, acima de qualquer coisa, ter controle sobre a sua mente e os seus pensamentos. Afinal, a nossa cabeça costuma nos sabotar nesses momentos, enviando um monte de ideias erradas e nos deixando muito ansiosos.

É importante, antes de qualquer coisa, colocar ordem na sua cabeça para tomar qualquer ação. Por isso que, nos próximos tópicos, antes de começarmos a falar sobre a parte prática domercado de trabalho, vamos mostrar um pouco mais sobre o autoconhecimento e autocontrole.

Isso vai garantir que você tome decisões mais acertadas no futuro, dando mais clareza aos seus pensamentos e deixando um pouco de lado o medo e o desespero dessa fase que é tão complicada para todas as pessoas.

2. Converse com pessoas que já passaram por esse momento

Uma dica interessante para saber o que fazer depois de formado é conversar com pessoas que já passaram por essa fase da vida e tiveram sucesso em suas carreiras. Acredite, não é difícil encontrar alguém que já teve a mesma dúvida que você — talvez, até mesmo um membro da sua família ou algum amigo próximo já passou por essa etapa da vida e pode lhe ajudar.

Ainda assim, você precisa ter muito cuidado. Existem pessoas que são muito negativas e podem prejudicar a sua tentativa de entender o que fazer nessa situação.

Isso significa que, nessa etapa, é muito válido receber a orientação de pessoas positivas e que, de fato, consigam contribuir com esse seu momento de vida. Outro detalhe que você deve ter atenção é que buscar ajuda deve ser apenas para servir como uma inspiração.

A tomada de decisão, no final, é sua. Afinal, essa é a sua vida, né? E por mais que outras pessoas pensem parecido ou tenham passado por situações similares, cada um é cada um. 

3. Busque o autoconhecimento

O próximo passo é buscar o autoconhecimento, ou seja, conhecer a si próprio, saber quais são os seus desejos, sonhos, projetos de curto, médio e longo prazo, assim como seus medos e receios. 

Isso ajuda muito a superar a fase pós faculdade e a responder à pergunta do “me formei e agora”. Entendendo melhor quem você é e o que você quer, vai ser mais fácil procurar uma posição que te agrade no mercado de trabalho, decidir se você vai fazer um curso de especialização e por aí vai!

E ok, isso é mais fácil falado do que feito, né? Se fosse fácil de saber quem você é em toda a sua essência, não existiriam tantos cursos e treinamentos que têm como objetivo mostrar isso para as pessoas, além das várias sessões de terapia para buscar autoconhecimento! Então claro, não é a coisa mais fácil do mundo. Mas ela é suuuper importante!

4. Analise suas opções

Outra dica bem legal é analisar quais são as suas opções!

Se você já estagia, quer continuar na mesma empresa se for efetivado lá? Gostaria de prestar concurso público? Trainee? Pensa em fazer outro curso de graduação? Uma pós? Um mestrado?

Existem várias possibilidades! Quais você tem mais vontade de seguir? Procure e se informe mais sobre cada uma delas para saber quais são as diferenças e onde cada uma pode te levar.

Além disso, pense sobre quais possibilidades existem na sua profissão! É muito difícil encontrar áreas profissionais que não tenham diversas ramificações. Por exemplo, se você se formar em Direito, pode trabalhar com empresas, ajudar pessoas a resolver problemas no trabalho, atuar com famílias etc.

Se você é um médico, pode escolher tratar de pessoas idosas ou crianças e, até mesmo, especializar-se em uma parte do corpo ou um procedimento específico — como a cirurgia plástica.

Enfim, o que estamos querendo mostrar é que, na maioria das profissões, existem dezenas ou talvez centenas de opções com as quais você possa trabalhar. Por isso, pensar bem sobre cada uma delas é uma forma de encontrar dentro da sua formação acadêmica algo que vai lhe proporcionar qualidade de vida financeira e satisfação no trabalho.

5. Conheça os passos que precisa dar depois da faculdade

Depois de passar por essas etapas de autoconhecimento e acalmar a mente, você vai precisar olhar para a questão prática da coisa. Por exemplo, o que uma pessoa que se formou em Direito tem que fazer depois de colar grau? Bom, se ela quiser trabalhar como advogada, vai precisar passar na prova da OAB.

E o médico? Simples, também vai conseguir o seu registro profissional e buscar alguma alternativa para começar a atender as pessoas, fazendo sociedade com outros profissionais ou entrando em clínicas na sua cidade.

Toda profissão tem alguns passos que precisam ser dados depois que o curso acaba. Como a pessoa estava muito inserida naquele universo durante a faculdade, ela consegue saber o que deve fazer para entrar no mercado.

Uma dica legal para você saber os passos que precisa dar depois que sair da faculdade é conversar com profissionais da sua área que já estão atuando há algum tempo. Nesse caso, não estamos mais tratando da questão mental, mas sim da sua atividade.

6. Defina os seus objetivos

Uma das coisas mais legais de responder à pergunta “me formei, e agora?” é a parte de definição de objetivos, pois essa etapa lhe permite sonhar com os seus desejos mais audaciosos.

Definir objetivos é um passo muito importante na carreira de qualquer pessoa. Quem não faz isso cai naquela frase do filme Alice no País das Maravilhas: “para quem não sabe aonde vai, qualquer caminho serve”.

O problema é que nem sempre o caminho que você percorreu pode ser aquele que sempre sonhou. O famoso “deixa a vida me levar” pode não ser a melhor opção, né?

É por isso que é importante definir os seus objetivos. Eles vão ser como uma bússola que vai ajudar você a caminhar até os seus os seus maiores sonhos. Mas não tenha medo de ser ousado: se quer ser um Juiz de Direito, por exemplo, defina isso como objetivo de vida e trace o caminho que vai lhe levar até a tão sonhada profissão.

Se o seu objetivo é ser um médico reconhecido em uma área de atuação, não tenha medo de sonhar com isso. Tenha, sim, atitude para organizar a sua vida até chegar à tão sonhada oposição.

Claro que não é tão simples assim e existem mil pedras no caminho, ainda mais tendo em conta que nem todo mundo tem as mesmas oportunidades na vida, né? Infelizmente, ainda não vivemos em uma sociedade igualitária.

Mas é importante que você tenha em mente que você pode sim conseguir realizar os seus sonhos, por mais difícil e tortuoso que o caminho seja. 

E para lhe ajudar nesse caminho, é legal que você divida os seus objetivos maiores em pequenas metas que precisam ser batidas. Por exemplo, quem quer ser Juiz de Direito precisa passar na OAB, trabalhar um tempo como advogado, estudar horas e mais horas por dia e fazer as novas provas dos concursos, não é?

Cada uma dessas etapas são as metas, pequenos passos ou vitórias que precisam ser dados até chegar ao objetivo maior, que é assumir o tão sonhado cargo. Isso vale para todas as profissões.

Um detalhe que tem que ficar bem claro é que você precisa ter sutilezas para entender quando o seu objetivo é atingido. É muito comum o caso de pessoas que atingem altíssimos cargos em um trabalho dos sonhos, porém, não conseguem chegar em um lugar específico.

Essas pessoas não conseguem entender ou enxergar que o seu objetivo foi atingido de uma forma diferente. Ou seja, essa definição é importante para que você tenha um norte a seguir, mas ela pode ser alterada ao longo da vida.

7. Busque oportunidades do seu interesse

Depois que você fez tudo isso que falamos ao longo deste artigo, chegou o momento de buscar as oportunidades que estão lhe esperando. Algumas pessoas serão bombardeadas com várias opções diferentes ao longo da busca. Outras, infelizmente, vão ter dificuldade para encontrar um trabalho que vai dar o pontapé inicial nos seus objetivos.

Não importa em qual dos dois casos você esteja: é importante ter em mente que as coisas podem demorar um pouco para acontecer. Se esse for o seu caso, vale a pena tentar refazer o seu objetivo de vida e sair em busca de algo que está um pouco mais próximo, para que sirva como um trampolim que o elevará até o objetivo pretendido.

O mais importante é que você tenha foco no que verdadeiramente quer e pense em formas de chegar lá. Talvez seu primeiro emprego não seja exatamente na área que você quer, mas ele pode te ajudar a chegar lá!

No início, você vai passar por algumas dificuldades — acredite, não vai ser fácil! Mesmo com diploma na mão, se você não tem muita experiência na área, pode ser difícil conseguir um trabalho, isso sem falar na questão da remuneração, que muitas vezes não é lá aquelas coisas.

Mas tenha em mente que isso é só o começo e as coisas podem melhorar muito!

8. Defina alguns pontos práticos do dia a dia

Também é importante que você defina algumas coisas práticas do dia a dia, por exemplo, se vaimorar perto do trabalho ou se prefere utilizar condução particular ou coletiva. Isso faz bastante diferença no final das contas.

Algumas pessoas precisam se mudar da cidade onde moram, principalmente quem faz faculdade em locais mais longes dos grandes centros. Isso significa que, se você vaimorar em São Paulo, por exemplo, é importante se planejar para saber o tipo de apartamento que vai alugar ou se vai dividir a moradia com alguém.

Isso pode parecer simples, porém, iniciar a vida profissional sem pensar nessas questões pode ser um grande transtorno no futuro. Ter que enfrentar toda dificuldade que existe no início de uma carreira e, além disso, precisar resolver problemas com o lugar em que vai morar pode ser bem chato, né?

Por isso, vale a pena colocar esses pontos na lista de coisas a fazer quando se formar, para não ser surpreendido no futuro.

Agora, você já deve ter mais calma para responder à pergunta “me formei, e agora?”, não é verdade? Então, pegue essas dicas e utilize-as com muito carinho. Afinal, é da sua carreira que estamos falando, certo?

E aí, gostou das dicas deste artigo? Então, compartilhe-o em suas redes sociais, para que mais pessoas que tenham as mesmas dúvidas que você também possam conhecer este conteúdo!

Posts relacionados

Deixe um comentário