Cohousing x coliving: guia completo sobre as principais diferenças

11 minutos para ler

Não tem nada mais chato do que ter que procurar casa ou apartamento para alugar, arrumar fiador, assinar contrato e fazer todas essas coisas que precisa para conseguir uma moradia, não é mesmo?

De olho no mercado de pessoas que não querem passar por esse tipo de burocracia, algumas empresas criaram alguns tipos de moradias bem diferentes, como o coliving e o cohousing.

Você já ouviu falar nesses modelos? Então, vem com a gente e conheça um pouco mais sobre os dois!

Como funciona um coliving?

Primeiramente, nós vamos mostrar para você como ocoliving funciona. Essa é uma tendência urbana que já chegou com tudo ao Brasil. Resumindo, é um tipo de moradia de apartamentos compartilhados com quartos individuais e privativos. Alguns, inclusive, são suítes.

Os apartamentos têm mobília de alto nível, parecida com os móveis que você encontra nos hotéis. Lendo essa parte parece que o coliving é parecido com qualquer outro tipo de moradia compartilhada, certo?

Errado! Tem algumas coisas que fazem toda a diferença. Uma delas é a falta de burocracias noscontratos de aluguel. Na Yuca, por exemplo, você pode mudar para outro apartamento deles depois de 3 meses, além de poder sair depois de 6 meses sem multas. Você também não vai precisar de fiador nem outro tipo de garantia. Quer mais diferenças?

Sabe as continhas que todo apartamento tem? Luz, água, internet, TV a cabo, limpeza e outros. Então, você não vai precisar se preocupar mais com isso se morar em um coliving. Todas essas despesas já vão incluídas no seu boleto de aluguel. Isso ajuda muito naorganização financeira das pessoas que têm uma vida muito corrida.

Não é difícil ver gente que deixa as contas vencerem porque, simplesmente, se esqueceram de pagar. Agora, se você tiver alguém para gerenciar todas essas contas faz toda a diferença, né?

Ah, não dá para esquecer que no coliving você também tem a oportunidade de se relacionar com várias pessoas com o perfil semelhante ao seu. Ou seja, é possível fazer um ótimo networking e abrir oportunidades de trabalho ou, até mesmo, fazer amizades para levar para toda a vida, mesmo depois de sair do apê.

Como funciona um cohousing?

A outra opção que podemos considerar como o futuro da moradia e que está ganhando espaço em todo o mundo é o cohousing. Esse tipo é bem diferente do coliving. Vamos ver como funciona!

O cohousing é um tipo de moradia muito parecido com um pequeno vilarejo privado. As pessoas dividem o mesmo terreno, só que cada um tem sua própria casa. Eles compartilham alguns espaços internos e externos, como a lavanderia, cozinha, jardins, áreas de lazer e outros lugares do imóvel.

O objetivo número um do cohousing é incentivar o uso de recursos naturais, além da socialização de todos os moradores entre si. Algumas pessoas dizem que o cohousing é parecido com uma república. A diferença, porém, é que nesse último caso os imóveis escolhidos são apartamentos.

Quais são as principais diferenças?

Não dá para falar em coliving e cohousing sem diferenciar as duas coisas. Neste tópico, vamos mostrar isso para você. Vamos lá!

Sustentabilidade

Os dois são bastante sustentáveis, já que com o compartilhamento de áreas comuns, em ambos há economia de recursos (como por exemplo água da máquina de lavar e energia dos eletrodomésticos, por exemplo). 

Mas se formos levar em consideração que no cohousing há mais pessoas, talvez ele possa ser considerado ainda mais sustentável que o coliving.

Convivência

No quesito convivência, o coliving dispara na frente. No caso do cohousing até existe certo grau de relacionamento, só que como cada um tem o seu espaço separado, isso pode ficar comprometido.

No caso do coliving, a convivência é praticamente o tempo todo. Para entrar no apê ou sair, ir até a cozinha ou assistir TV, quase sempre será feito com os outros moradores.

Burocracia

Outra diferença entre o coliving e cohousing é no número de burocracias. Nesse caso, os apartamentos compartilhados também são superiores.

No coliving, os contratos costumam ser mais curtos, ou seja, você não fica preso a eles. Além disso, nos apês da Yuca você ainda tem a facilidade de poder se mudar de apartamento depois de três meses.

Localização

Por fim, temos a localização. O cohousing é um lugar escolhido pelos moradores que dividem aquele espaço. O coliving, no entanto, pode existir em várias localizações.

Quemvive na cidade de São Paulo, por exemplo, poderá encontrar colivings da Yuca nosprincipais bairros da cidade. Assim, é fácil escolher um apê perto do trabalho, por exemplo. Excelente para quem não quer gastar tempo e dinheiro com transporte.

O que considerar na hora de escolher?

Depois de entender as diferenças entre coliving e cohousing, você deve estar em dúvida sobre o que vai considerar na hora de escolher, certo?

A primeira coisa a se considerar é se o seu perfil se encaixa com alguns dos casos. Afinal, tem gente que preferemorar sozinho e não gosta de dividir um espaço, por mais que exista um local restrito para cada um. Nesse caso, tanto o coliving quanto o cohousing podem não ser legais para as pessoas que têm esse perfil, ok? 

Porém, o cohousing pode ser considerado com um pouco mais de privacidade, já que cada um tem sua casa.

Além disso, é preciso analisar algumas preferências pessoais. Se você prefere um quarto individual com mobília de nível de hotelaria, o coliving pode ser a melhor opção. 

No caso do cohousing, não tem como saber se os móveis são ou não de qualidade. Até porque, essas moradias são comuns em edificações um pouco mais antigas.

No coliving, especialmente na Yuca, você tem a garantia que terá móveis de excelente padrão!

Outra coisa que você precisa analisar é essa questão de organizar contas. Por exemplo, se você viermorar em algum dos bairros de SP, além de saber ocusto de vida em São Paulo, também precisa ver se vai conseguir juntar todas as despesas para pagar no final do mês.

Acredite, contar com alguém que faz todo esse trabalho para você vai fazer muita diferença. Não tem nada mais chato do que esquecer de pagar uma conta. Além de ficarem cobrando, você ainda vai ter de pagar mais pelo atraso.

No coliving, você já sabe que todas as despesas básicas etarifas da casa são organizadas pela Yuca e cobradas de uma vez só no seuboleto de aluguel mensal, né? Então, essa também é uma coisa que você tem de pesar na hora de escolher entre um coliving e um cohousing.

Se você parar para ver cada um desses pontos separadamente, não vai ter dificuldades para escolher a melhor e mais adequada opção.

Como buscar ajuda especializada?

Você viu que tem algumas diferenças importantes entre o coliving e o cohousing, né? A dúvida que paira no ar então é a seguinte: como escolher entre as duas?

Simples: procure por uma ajuda especializada. A Yuca, por exemplo, pode ajudar bastante nessa escolha. No site da empresa tem todas as informações que você precisa saber antes de entrar em umapê compartilhado.

É importante que você olhe bem tudo o que você julga ser importante em uma moradia. Isso evita ser pego de surpresa com alguma coisa que pode não ser legal para o seu perfil.

Como garantir uma boa convivência?

Fala sério, essas opções são muito bacanas, né? Já pensou morar em um lugar alugado, sem ter de se preocupar com contrato, fiador e ainda ter todas as despesas pagas em um único boleto, como acontece no coliving?

Não tem nada igual! Só que para viver bem em um lugar como esse ou em um cohousing, você precisa ter algumas condutas ou hábitos que garantam a boa convivência. Quando se fala em moradia compartilhada, é necessário muito cuidado para respeitar os espaços de cada um dos moradores.

Foi pensando nisso que resolvemos escrever este tópico. Aqui, mostraremos como ter uma boa convivência com todos moradores. Vem com a gente!

Conheça as regras do lugar

Primeiro, é importante conhecer bem as regras do lugar. Se é você quem está chegando, então, deve ver o que pode e não pode fazer ali.

O que você precisa conhecer são os combinados básicos, como: levar convidados, fazer festinhas, horários em que é obrigado ter silêncio para os outros moradores dormirem, enfim, essas coisinhas pequenas que, no final, podem fazer muita diferença.

Conhecer essas “regrinhas” vai evitar inconvenientes sem ao menos perceber. Desrespeitá-las pode causar certo distanciamento entre você e os seus colegas de apê ou casa.

Respeite as áreas comuns

Também é importante respeitar as áreas comuns. Lembre-se que o imóvel é dividido, isso significa que você deve prestar muita atenção nas suas ações nesses lugares para não ser chato.

As áreas comuns dos apartamentos ou casas compartilhadas são cozinha, salas e, em alguns casos, banheiros. Em alguns colivings, os quartos têm banheiros privativos. Assim, você tem mais liberdade e não precisa ter tanta atenção quanto ao uso coletivo.

Tenha atenção ao lixo

Uma coisa que você deve ter muita atenção é com o lixo. Fala a verdade, todo mundo, às vezes, comete um errinho simples com um pedaço de papel que vai para o chão sem perceber. Ou então enchendo o lixo e esquecendo de tirá-lo. 

Você precisa se policiar o tempo inteiro para não deixar isso acontecer, certo? Não tem nada mais chato que ser conhecido como a pessoa que não tem cuidado com o lixo.

Mas e se os demais moradores não têm a mesma atenção que você? Bom, é possível que, na medida em que eles perceberem o seu cuidado e o dos demais moradores, se sintam constrangidos ao cometerem alguma dessas falhas.

Porém, caso eles realmente não mudem de atitude, vale uma conversa com os outros moradores para todos chegarem num acordo. Algumas pessoas são mais desligadas em relação a isso e nem percebem que estão sendo inconvenientes. 

Tente conhecer bem as pessoas que moram com você

Também é legal conhecer bem as pessoas que moram no coliving ou cohousing. Isso vai evitar que você faça alguma coisa que possa ofender algum morador. Além de conhecer o perfil das pessoas, é legal também deixar claro como você é, as coisas que não gosta e suas principais características.

É legal que os demais moradores também saibam como você é e as coisas que podem deixá-lo chateado. O respeito à diversidade de perfis é muito importante para a boa convivência.

Opte pela conciliação em caso de conflitos

Mesmo que todos conheçam bem os perfis de cada um dos moradores, os conflitos podem ser inevitáveis. Não tem como pensar em morar com pessoas e imaginar que não vai acontecer um desgaste, por menor que seja, né?

Quando isso acontecer, é importante que você sempre dê preferência pela conciliação. Às vezes, é preciso abrir mão de alguma coisa em prol do bom relacionamento com os demais moradores.

Conversar direitinho e chegar a um combinado que seja bom para todos sempre vai ser a melhor opção. Não tem nada mais chato que ficar um clima pesado com um ou mais moradores do apê.

Então, seja você o agente que vai conciliar as ideias e desmanchar conflitos que podem prejudicar o relacionamento.

Seja solidário e participativo

Enfim, é importante que você também sempre seja solidário e participativo. É legal ter momentos de isolamento dentro do seu quarto. Só que você também precisa participar das coisas junto com os outros moradores.

Um momento bacana de fazer isso é durante o café da manhã, almoço ou durante um programa de TV que todos os moradores gostam.

Também é importante ser solidário. Em um coliving, por exemplo, é muito comum que os moradores dividam o transporte para o trabalho. Essas ações, além de ajudar a melhorar o relacionamento no apê, também podem ajudar você a economizar com alguns custos mensais.

Enfim, como você viu, é muito mais fácil achar um lugar bacana para morar hoje em dia. Opções como o coliving são ideais para você que não quer ficar preso a contratos e burocracias chatas.

Se você gostou dessas informações e quer saber mais sobre esse tipo de moradia,vem falar com a gente. Aguardamos ansiosos para mostrar a você tudo sobre as nossas opções de apês!

Posts relacionados

Deixe um comentário